sábado, 9 de agosto de 2008

Super Vicky e os Meninos de Rua

Ao relembrar de um extinto seriado que passava na Globo nos anos 80, chamado Super Vicky, cheguei à uma analogia que gostaria de compartilhar com os leitores deste blog. A protagonista do seriado é uma menina-robô de dez anos de idade, que foi inventada por seu pai, espécie de cientista bobão de classe média americana, somente para cuidar dos deveres domésticos. Situação parecida, vivem as crianças de rua que pedem esmola para sustentar a família,ter filho, para essa gente, passou a ser um modo de susistir, não é? Eu achei boa essa analogia, mas não é nada demais, não espere que eu vá fazer algum discurso sociológico sobre isso, foi uma simples associação. Eu poderia até levantar uma discussão sobre o assunto por aqui, mas pra quê? Ninguém vai ler nem comentar. É melhor falar sobre as Olimpíadas.
Por falar nisso, o Oscar ainda joga basquete?


4 comentários:

rafa disse...

de onde você desenterrou isso??

Remo Trajano disse...

do quintal da casa da minha avó... tava lá há anos

Luiz Pinto Ferreira disse...

Não curtia esse seriado não, mas a analogia cabe.
O Oscar, não joga, mas deveria, talvez o basquete masculino estivesse ao menos em Pequim, ou Beijing, como o ocidente aprendeu a chamar agora.

Obrigado a visita ao pandareco. Passe por lá mais vezes.
Abraços.

Remo Trajano disse...

Por Deus, dessa eu não sabia, O Brasil não está disputando o basquete masculino? Gente...
Que babado!
Vou escrever um post.